quarta-feira, 3 de outubro de 2012

LEVANTE DE PRIMAVERA - 1o. ENCONTRO

Olá Pessoal
Bem vindos ao Levante de Primavera!
Primeiro dia e já navegamos em águas calmas, próximos à orla. Porto Seguro.
No próximo encontro ancoraremos no porto de Santa Cecília…hunnnn…lugar de todos os tipos, piratas, corsários, contrabandos, meganhas, despossuidos de todas as classes e..nós.
Já sabem: sapatos em que o chão se faça sentir e roupas confortáveis mas que não chamem a atenção, afinal queremos passar incólumes. Será que conseguiremos?
Continuaremos com nossas pesquisas sobre o movimento que mais incomoda o Paulistano: ficar parados - o movimento parado tem mais movimento do que sonham os que correm que nem baratas tontas de uma lado pro outro. Veremos.
Algumas coisas que falamos hoje:
1- O escritor Italo Calvino e o livro Cidades Invisíveis
2- TAZ Zona Autônoma Temporária de Hakim Bey, pseudonimo de Peter Lamborn Wilson   que escreveu também: Chuva de Estrelas e Utopias Piratas.
3- maneiras de tocar os pés  ou as mãos no chão, ou como perceber o corpo de várias maneiras. Focamos os braços, pés e a circulação de energia na coluna com a liberação de cabeça cauda.
4- instalamos essa percepção na rua e colhemos algumas impressões que já lançam os desafios que cada um trabalhará nos próximos encontros: densidade do corpo na rua, as palavras soltas que captamos e que nos desequilibram, o desejo de não criar barreiras e se comunicar com os passantes, o rápido e o lento que se unem como se um estivesse contido no outro, a rua te expulsando.
essas não são verdades absolutas. podemos mudar  de percepção e portanto declararemos o contrário no próximo encontro? Não sei.
5- em sala ainda  experimentamos que para começar algo tenho que procurar zerar o corpo e a mente. Sei, sei que isso não existe. Mas a gente se aquieta. Tá bom assim? Depois disso é que vamos iniciar o que quer que seja: um percurso, um gesto, um movimento. Onde começa? em seu interior. Onde fica visível? Vc decide! Como decide também velocidade, pausa, retorno e fim. Devagar é diferente de parado. Rápido é diferente de apressado.
Nem um nem outro é bom ou ruim. Na brincadeira de hoje era pra se devagar e constante até encontrar o chão.
Falamos de ficar em repouso até fazer sentido. O que é isso? Não sei. Mas de alguma maneira, se prestarmos bem atenção ao corpo, ele mesmo sabe o momento de retornar e sua mão se afasta do chão sem que isso seja necessariamente uma decisão racional.
São desses elementos e muitos outros que veremos mais adiante que utilizaremos em nossas composições. Sem nunca se afastar da idéia de que será o grupo que dará suporte a tudo o que formos realizar.
Vcs viram que não falei ainda de Gonçalo Tavares, cujo livro Sr Calvino nos dará inspiração para observarmos os locais por onde andarmos.
Nossos encontros irão do dia de hoje 3 de outubro a 27 de março com uma pausa para o final do ano que vai da segunda quinzena de dezembro a mais ou menos 6 de janeiro.
Nosso blog: centrodedancanarua.blogspot.com
o site do festival: www.visoesurbanas.com.br
Boa semana
beijos
Mirtes


** origami de Alzira Cathony - foto: Ederson Lopes

Um comentário:

  1. Como diria nosso querido Hakim Bey em “Caos, terrorismo poético e outros crimes exemplares” (na minha [falsa] humilde opinião o melhor livro do rapaz): “Dançar de forma bizarra durante a noite inteira nos caixas eletrônicos dos bancos. Apresentações pirotécnicas não autorizadas. Land-art, peças de argila que sugerem estranhos artefatos alienígenas espalhados em parques estaduais. Arrombem apartamentos, mas, em vez de roubar, deixe objetos Poético-Terroristas. Sequestre alguém e o faça feliz.”
    Só o C.A.O.S. nos salva, como ensinou Jorge Mautner!
    Calvino nasceu em Cuba, mas não ficou por lá!
    Gonçalo M. Tavares é formado em Educação Física: “Livro da Dança”; “A temperatura do corpo” ; “Breves notas sobre a ciência”; “Breves notas sobre as ligações”; “Breves notas sobre o medo” (!!!). Senhor Calvino mora em uma série de livros em andamento chamada: “O Bairro”.
    Ferreira Gullar tem suas “Cidades Inventadas”.
    E, para terminar que já é tarde e eu tenho um filho para criar, cito Zelda Fitzgerald, aquela bêbada maravilhosa:
    “Salvo alguns retrocessos rumo a uma rebeldia maluca e uma falta total de equilíbrio, estou melhor.”
    Avante Levante!!!
    Beijos a todos...
    Anônimo de Havaianas

    ResponderExcluir